Museu do Telefone

Rio de Janeiro/RJ

2000

Concurso Nacional

Área: 1.715m²

O trecho da Rua Dois de Dezembro, no Flamengo,  Rio de Janeiro,  onde se encontra o Museu do Telefone apresenta um acervo edificado configurado.
 
Juntamente com o vizinho edifício tombado do IAB/RJ (Instituto de Arquitetos do Brasil - RJ), o museu compõe uma massa construída bastante harmônica. Com proporções clássicas, esses dois edifícios demonstram, pelo ritmo de suas estruturas, aberturas e ornamentos, a intenção de se relacionarem formalmente. Esses elementos verticais apresentam um equilíbrio na horizontalidade do conjunto, que enfatiza a intenção que se teve, no início do século XX, de respeitar o ambiente construído –respeitar a cidade.
 
Na calçada frontal a esses edifícios, uma densa cortina vertical e ritmada de prédios, delimitam a extensão do olhar e definem com clareza o que é espaço público e o que é espaço privado.
 
Situação oposta ocorre na face dos fundos desses dois edifícios: um amplo vazio configurado por um terreno pertencente ao Metrô carioca proporciona ao Museu o oferecimento de variadas perspectivas urbanas - do edifício se pode apreciar a cidade e da cidade se pode apreciar o edifício.
 
Desse modo, acreditamos que o projeto deva ser pensado além das necessidades de ordenação, adequação e ampliação dos espaços que o Museu requer. Deve se pensado em respeito à cidade consolidada, absorvendo seus fluxos e potencializando pela transparência, pela transposição e fugas do olhar, sua dimensão urbana. 

Museu do Telefone