Piazza della Scala

Milão, Itália

2015

Concurso Internacional.
com Arpino Masella Architettura.

A Piazza della Scala, um dos lugares centrais mais representativos de Milão, se apresenta como um território urbano fragmentado, desarticulado e pouco convidativo ao uso, que não valoriza ou destaca a importância simbólica de seus edifícios de entorno - o Teatro alla Scala, o Palazzo Marino, a Galleria Vittorio Emanuele II, o edifício da Banca Commerciale Italiana, hoje Intesa Sanpaolo com a nova Gallerie d'Italia, e o Palazzo della Civica Ragioneria del Comune di Milano.

Os efeitos dessa fragmentação e desarticulação urbana se agravam por se tratar também de um nó fundamental do percurso de pedestres que conecta os diversos espaços urbanos e os numerosos edifícios culturais e institucionais presentes na área central de Milão.

Nossa proposta considera dois níveis de intervenção:

Intervenção Viária
Acreditamos no fortalecimento da mobilidade urbana através do aumento da pedestrianização e da racionalização dos percursos veiculares.

Intervenção na Piazza della Scala
Acreditamos no vazio como protagonista dos espaços urbanos.

Dessa maneira, propomos o remanejamento da Estátua de Leonardo da Vinci do centro da Piazza para o Largo Ghiringhelli. Essa nova configuração mantém a presença e o destaque da escultura ottocentesca de Pietro Magni, rearticula e unifica os espaços fragmentados da Piazza alla Scala, proporciona a continuidade das perspectivas visuais do interior da Galleria Vittorio Emanuelle II e soluciona a ocupação do Largo Ghiringhelli, criando um lugar urbano por excelência

Piazza della Scala